Buscar

Amar a si mesmo -Por Inelia Benz


Se a frase “amar a si mesmo” o fez abrir este artigo, então é hora de você levar em consideração sua vida, olhar profundamente o que você está fazendo consigo mesmo e começar a se ver como um membro muito importante de nossa sociedade de alta frequência. Neste artigo, vamos explorar “por que” isso é verdade.


Como você está se tratando? É com amor, compaixão, cuidado? Ou é com abandono, autocrítica, dúvida paralisante, medo e culpa?


As palavras "Amar a si mesmo" surgiram como um dos principais termos dos mecanismos de pesquisa. O que isso significa é que muitas, muitas pessoas estão fazendo uma pesquisa sobre esse tópico, ou também pode significar que os mecanismos de pesquisa o estão promovendo fortemente.


Quando eu receber as estatísticas do número de assinantes que leram este artigo, saberei se é parte do coletivo nos dizendo para prestar atenção em como nos tratamos, ou se é uma promoção da máquina de programação social egóica e superestimulante.


Por que é importante prestar atenção ao que o coletivo nos diz?


O coletivo humano é como uma colmeia. Quando pensamos em uma colmeia, ou mente colmeia, ficamos com calafrios. Somos ensinados a acreditar que a “mente coletiva” trata de um sistema hierárquico e tirânico muito opressor. No entanto, isso é um completo mal-entendido de como uma colmeia realmente funciona. Este ensino errôneo reflete como o coletivo humano está trabalhando atualmente. “Reis e Rainhas” no topo e o resto da humanidade sendo “apenas” abelhas operárias.


A colmeia na verdade funciona de maneira muito diferente de como funcionam as estruturas hierárquicas dos humanos. A colmeia cria os papéis de que necessita para seu bem-estar, florescimento e expansão. Uma colmeia só precisa de uma rainha, por isso só tem uma. Ela precisa de várias abelhas coletoras, então cria muitas delas, e muitos operários da construção, cria muitos deles também. Ela também precisa de um número significativo de abelhas guerreiras, alguns zangões machos e, eventualmente, novas rainhas. Tudo o que a colmeia precisa para florescer, ela cria.


E o mesmo acontece com o coletivo humano.


O coletivo humano cria pessoas de que precisa para florescer na Terra.

A abelha rainha não manda em ninguém. Nem explora, destrói ou se autopromove como a chave de todo o empreendimento. Só existe uma porque a colmeia precisa de apenas uma rainha. Se a colmeia não precisasse de uma rainha, não haveria rainha.


E é aqui que você entra.


Você está aqui, lendo este artigo, porque nasceu para incorporar o novo paradigma na Terra nesta vida.


Deixe-me repetir isso:

Você está aqui, na Terra, para incorporar o novo paradigma.


É por isso que você nasceu e é curioso, intuitivo, sensível, tem as melhores intenções para todos na Terra e é um indivíduo compassivo e inspirado.


O coletivo humano precisa que você brilhe agora. É preciso que você saia do papel de lobo solitário, saia das sombras e aprenda a trabalhar bem com outros indivíduos despertos de alta frequência. Eu não disse saia do papel de lobo solitário e trabalhe com todos, de baixa e alta frequência. Eu disse para aprender a trabalhar bem com outros indivíduos despertos de alta frequência. Essa é a sua tribo.

Nem todos os indivíduos despertos são criados iguais, e isso é algo que devemos celebrar. Não somos os mesmos! Não somos iguais. Todos nós somos tão valiosos, mas não iguais uns aos outros. "Então aproveite todas as ferramentas, cursos, meditações, mentoria e ativações que você encontra neste site ou qualquer outro que te empodere para que você eleve sua frequência e ajude a co-criar a Nova Terra!" -Scheila Adriane



Fonte: https://ineliabenz.com

Tradução: Scheila Adriane

37 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo
  • Facebook
  • YouTube
  • Instagram