Buscar

Você tem sentido a necessidade de se afastar?


Texto de Inelia Benz - Tradução: Scheila Adriane------


Na semana passada, senti pessoalmente e testemunhei um profundo sentimento de desconexão entre o corpo, o ambiente e a mente.


Ao olhar em volta, vi que outros pareciam estar fazendo coisas e agindo de maneira muito deslocada e desconectada.


Quando falei sobre 2020 no início deste ano e no final do ano passado, falei sobre 2020 ser o ano de unir suas tribos e comunidades. Foi o ano que marcaria o fim do lobo solitário.


Essa foi uma decisão coletiva, não apenas para seres de alta frequência como você, mas também para seres de baixa frequência, como todas aquelas pessoas adormecidas que estão escolhendo medo e subjugação em vez de liberdade e consciência.


Enquanto conversava com Larry sobre a sensação de desconexão, ele mencionou para mim que parecia mais um afastamento. Um sentimento de entrar em si mesmo e em nosso próprio mundo interior, deixando o corpo, a mente e o espírito cuidarem de si mesmos.


Essa maneira de explicar parecia mais precisa.


Estaria isso relacionado com a subjugação das massas pelo medo através do Covid? Sim, isso mesmo. Trilhões de dólares estão sendo gastos para criar um ambiente extremo de "medo uns dos outros". Ao cobrir nossos rostos, mantendo distância e com medo um do outro, o coletivo humano está fazendo o oposto do que deve fazer este ano, que é reunir-se, trabalhar juntos, unir-se para co-criar conscientemente experiências na Terra.


Tantas pessoas estão aderindo à separação pelo medo, que está afetando todos no planeta em diferentes níveis. Nós somos uma espécie coletiva. Nossas vidas são todas sobre as pessoas ao nosso redor. Precisamos de contato e nosso corpo precisa de toque. Eles precisam ver rostos.


Como mãe de quatro filhos, lembro-me de quando meus bebês nasceram e, nos primeiros anos, como eles procuravam e respondiam aos rostos das pessoas. Fazemos isso ao longo de nossas vidas. Olhe as folhas de uma árvore, as nuvens no céu, padrões aleatórios em tecidos, árvores, pedras, areia, e você logo começará a ver rostos.


O castigo mais cruel e mais severo nas prisões é o confinamento solitário, é a proibição de ver rostos e ter contato humano com outras pessoas.


Retirar-se de si mesmo é uma consequência natural desse castigo cruel e incomum. É surpreendente que uma grande maioria das pessoas em todo o mundo tenha se submetido voluntariamente a essa situação por medo de punição ou doença. É incrível como as pessoas que dormem com facilidade são levadas a criar circunstâncias horríveis para si mesmas.


E essa, na minha opinião, é a principal razão pela qual aqueles que estão acordados também estão se retirando agora. A razão é que temos que deixar que o mundo, o mundo do poder sobre os outros e o medo de entrar em colapso, colapsarem.


Então, o que fazemos sobre isso? Fazemos alguma coisa?


Sim nós fazemos. Fiz uma lista de itens que ajudarão nessa reação:


-Saiba que você não é o único a passar por isso.


-Saiba que não é depressão, ou qualquer coisa que esteja errada com você.


-Não é sobre você.


-Reconecte-se com outras pessoas o máximo possível, mesmo que pareça o contrário do que você deseja fazer. Tanto quanto possível, verifique se as pessoas com quem você se reconecta também estão acordadas e conscientes do que realmente está acontecendo no planeta no momento.


-Ande descalço no chão, abrace árvores ou deite-se na grama. Trata-se de se reconectar com Gaia.


-Faça algo para desafiar sua mente. Fazer um curso on-line que ensina uma habilidade mentalmente desafiadora.


-Use seu corpo, faça caminhadas e, se você estiver preso em um país ou cidade que não permita caminhadas, compre uma corda de pular e pule regularmente durante o dia.


-Pesquise e faça alguns exercícios de respiração profunda.


-Gire os ombros suavemente em movimentos circulares e encontre exercícios que esticam a caixa torácica.


E, claro, envie este artigo para todos que podem se beneficiar dele.



110 visualizações
  • Facebook
  • YouTube
  • Instagram

© 2016 by Despertando Deuses.