top of page
Buscar
  • Foto do escritorScheila Adriane

Somos bem-sucedidos? -Por Inelia Benz.

Atualizado: 28 de jul. de 2023


Há uma quantidade impressionante de ensinamentos focados em alcançar o sucesso na Terra. Somos Artistas da Luz e estamos aqui para o sucesso na co-criação de um paradigma de luz dentro desta linha do tempo de experiência.

Mas o que exatamente usamos para medir esse sucesso?

Esta é uma conversa que Larry, eu e a equipe estamos tendo há algum tempo. Como nós, trabalhadores da luz medimos o sucesso dentro de um paradigma luz/escuridão e POO (Power Over Others = Poder sobre os outros)?

Como medimos o sucesso de levar a mensagem de empoderamento às massas? Ou em elevar a frequência vibracional na Terra?

O sucesso, para mim, é muito subjetivo. Está muito ligado à força vital e à evidência do nível de alta frequência na vida de uma pessoa. O sucesso seria como uma pessoa que está no comando de sua jornada e a realiza com facilidade.

Ao mesmo tempo, evidências objetivas devem estar presentes e incluir uma facilidade inata em navegar em um paradigma de luz/escuridão. Afinal, somos os criadores de caminhos de luz para o novo paradigma.

Sempre que ouço falar de um professor espiritual ou de empoderamento com o qual não estou familiarizada, a primeira coisa que faço é olhar para sua vida pessoal. Eu olho para seus funcionários, seus centros, escolas e afins. Se vejo indivíduos relaxados, felizes, física e energeticamente saudáveis, fico interessada em seus ensinamentos. Essas coisas eu interpreto como evidência da força vital e alta frequência ao seu redor.

Claro, um mestre de um único ofício provavelmente só terá sucesso em seu ofício, enquanto o resto de sua vida pode ser uma bagunça. Diríamos que isso é um verdadeiro sucesso quando acontece?

Para nós, Larry, a equipe e eu, o sucesso precisa se expressar em todos os aspectos da vida. Por que? Porque ensinamos a soberania em toda a vida, não apenas em um aspecto dela.

Mas qual é a nossa régua de medição?

Ilie compartilhou comigo a citação mais famosa de Krishnamurti outro dia: “Não é uma medida de saúde estar bem ajustado a uma sociedade profundamente doente”.

Ele estava usando isso para entender nossos números relatados de assinantes na internet. Os números não estão aumentando como esperávamos usar como medida de nosso sucesso. Até agora, havíamos planejado 2 milhões de assinantes em nosso boletim informativo, por exemplo, mas desde que colocamos essa meta, não aumentamos nossos números de maneira significativa. Um dígito para cima ou para baixo, o que por si só é bastante notável se você pensar sobre isso, pois seria muito difícil produzir o conteúdo que fazemos nos métodos e variedade de lugares que fazemos, e ainda ter os assinantes exatamente os mesmos ao longo do curso de um ano.

Gostei muito da citação, mas tenho certeza de que muitas pessoas a interpretam de maneira diferente, então pesquisei o professor e a citação para ver o que ela significava. Parece que Krishnamurti nunca disse as palavras, mas as palavras eram um resumo de várias frases que ele disse ao falar sobre doença mental, uma delas foi:

“Será a sociedade saudável para que um indivíduo retorne a ela? A própria sociedade não ajudou a tornar o indivíduo doente? Claro, o que não é saudável deve se tornar saudável, nem é preciso dizer; mas por que o indivíduo deveria ajustar-se a uma sociedade doentia? Se ele for saudável, ele não fará parte disso. Sem primeiro questionar a saúde da sociedade, de que adianta ajudar os desajustados a se conformarem com a sociedade?”

Crescendo e durante todos os meus primeiros anos de vida adulta, lutei com o que era a medida do sucesso. O que eu deveria almejar? Como eu mediria o que eu achava que deveria estar fazendo? Procurei a orientação de meus pais e professores, mas, repetidas vezes, pude ver que eles não estavam tendo sucesso de forma alguma. Não apenas não tendo sucesso em seus objetivos pessoais, mas também não tendo sucesso na vida..


Quando me tornei consciente e ciente do que era esperado de mim pelo coletivo humano, ao invés de meus pais ou professores, as coisas mudaram um pouco. Em vez de perseguir o que me foi dito, em outras palavras, perseguir as coisas que me fariam feliz (uma contradição em si, já que a felicidade não vem de experiências externas transitórias), decidi usar uma medida diferente. Esta medida veio com uma frase:

“Será que fazer xyz facilita e acelera a entrega da mensagem de empoderamento ou não?” Claro, a entrega da mensagem de empoderamento não é a razão de todos estarem aqui. A maioria dos trabalhadores da luz está aqui para expressar sua frequência mais alta e ter essa frequência refletida de volta para eles em experiências físicas.

Uma medida universal mais útil para o seu dia, ações, sentimentos, pensamentos e criações pode ser algo como:

“Se eu fizer xyz, isso facilita e acelera minha expressão e o reflexo físico da minha frequência mais alta?”

Uma das coisas que me ocorreu ao olhar para este tópico foi que a maneira como tenho medido as coisas é anterior a fazer a coisa. Enquanto a sociedade mede as coisas depois que a pessoa as fez.

Para o próximo ano, gostaria que você experimentasse isso. Experimente mudar a régua de medição para verificar antes de fazer as coisas ou mesmo enquanto as faz, e não depois.

Isso nega a medida de Krishnamurti da pessoa doente justificadamente em uma sociedade doente? Às vezes, mas nem sempre. Por exemplo, ter sucesso financeiro facilita seu conforto físico, o que permite que você gaste tempo em suas boas obras. Perseguir o sucesso financeiro como o objetivo final, e não o que pode facilitar para você, provavelmente não terá resultados de alta frequência.

Para nosso exemplo de usar a medida de sucesso de outra pessoa como oradores públicos, usamos estatísticas e análises da Internet, bem como renda, para medir nosso sucesso em transmitir a mensagem de empoderamento na sociedade de hoje. No entanto, descobrimos que o resultado direto do uso dessa régua de medição foi o banimento, a censura e os números que supostamente permanecem os mesmos ao longo de anos de trabalho. No entanto, quando olhamos para nossas vidas e para as pessoas ao nosso redor conectadas ao trabalho que fazemos, elas são preenchidas com facilidade, amor, companheirismo, inspiração, apoio financeiro e entusiasmo e, definitivamente, uma quantidade crescente de aliados e co-criadores.

Esse é apenas um exemplo. Exploraremos mais esse assunto em nosso podcast.

Fizemos o nosso trabalho, agora faça o seu e compartilhe :) Telegram da Inelia em Português: https://t.me/ineliapt



Tradução: Scheila Adriane


21 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Comments


  • Facebook
  • YouTube
  • Instagram
bottom of page