top of page
Buscar
  • Foto do escritorScheila Adriane

Memórias Lemurianas. -Por Inelia Benz.

Atualizado: 28 de jul. de 2023


A energia Lemuriana entrou e saiu da minha vida várias vezes desde 2006, mas este artigo é sobre uma visita física que Larry e eu tivemos com os Lemurianos e estou compartilhando em preparação para nossa aula de junho de 2023 “Reconexão Lemuriana”.

Em 2014, Larry e eu fomos para a Lemúria com duas senhoras espanholas.

O local em que entramos em Lemúria foi no “Mosteiro Santa Maria de Montserrat”, um magnífico mosteiro à beira de majestosas montanhas localizado a cerca de 45 km, 28 milhas, a noroeste de Barcelona, ​​Espanha.

Na época, havíamos realizado um evento em Barcelona e também planejamos uma visita ao conhecido portal Lemuriano em Montserrat. Existem portais lemurianos em vários locais ao redor do planeta.

O Mosteiro foi construído no antigo local de um grande portal lemuriano. Mas esse portal já havia sido fechado, e portais menores ainda existem em vários locais nas montanhas ao redor do mosteiro.

O próprio mosteiro era um exemplo do típico sistema de captação de energia divina. Tecnologia que é usada para absorver a admiração e a inspiração do indivíduo, sentida ao ser exposto à energia maior que a vida dos locais sagrados onde, igrejas, abadias, catedrais, mosteiros e conventos são construídos. Portanto, nada de novo para escrever sobre essa parte da visita.

Eu visitei o portal em 2012 com Daniela e um guardião do portal que conhecemos no mosteiro que “por acaso estava lá naquele dia” e confirmou a localização do portal mais acessível. Então eu sabia onde era aquele portal e pude nos levar até lá em 2014.

Larry, as senhoras e eu deixamos o pátio do mosteiro e seguimos um caminho bem trilhado e bem construído até a montanha onde eu havia encontrado o portal dois anos antes.

Tivemos que caminhar bastante antes de chegar ao portal. Estava literalmente no caminho e havia pilares e assentos à beira do caminho naquele local. Sentamo-nos, Larry, eu e as duas senhoras, e fechamos os olhos. Escaneei o portal e “bati” para ver se tinha alguém lá e se podíamos fazer uma visita. Recebi a mensagem de que não havia ninguém para abri-lo, mas havia pessoas a caminho para nos encontrar e voltar em breve. Não me lembro exatamente quanto tempo tivemos que esperar.

Continuamos a subir a montanha e apreciamos as vistas, a companhia e uma conversa interessante. No tempo estipulado, voltamos e sentamos nos bancos de pedra à beira do caminho e fechamos os olhos.

Depois de ficarmos sentados ali por um tempo, houve um enorme estalo, como se uma pedra gigante tivesse acabado de cair no caminho ao nosso lado. Abrimos os olhos confusos porque não havia nenhum pedregulho, nenhuma evidência de que algo físico tivesse acabado de acontecer. O que se seguiu foi a experiência típica que muitas pessoas têm quando viajam para a Lemúria.

As duas senhoras haviam se deitado nos bancos de pedra e dormiam profundamente. Larry esfregou os olhos e viu um jovem casal passando por nós na trilha. Ele ficou muito bravo com eles porque, em suas palavras, ela tinha centenas de anos e ele era super jovem. Ele disse: "O que ela está fazendo com ele, ela é muito velha para ele!!" Eles realmente pareciam um casal normal, sem nenhuma diferença óbvia de idade.


Olhei para os braços de Larry, eles agora estavam machucados. Ele tinha hematomas nas mãos perto dos pulsos. Eu verifiquei suas pernas e as mesmas marcas eram visíveis perto de seus pés. Seu telefone, que estava desconectado de todas as redes, marcava 23h, mas na verdade eram apenas 16h. O telefone então converteu para a hora certa quando ele o tirou do modo avião, que havia ligado quando chegamos para economizar o uso da bateria para uso como câmera e relógio. Funcionou perfeitamente antes e depois do incidente, mas enquanto estava desconectado da rede, mediu 7 horas a mais do que o tempo real.

Ele também estava faminto e com sede, embora tivéssemos comido apenas uma hora antes. Uma das senhoras disse que se sentia mais descansada do que há muito tempo e também estava com muita, muita fome. A outra senhora e eu não estávamos com fome e estávamos bastante cansados.

Tudo isso fez sentido depois que fechei os olhos e puxei as memórias do que tinha acabado de acontecer. Nossas memórias foram apagadas dos eventos, mas havia resquícios disso.

Antes que eu dissesse qualquer coisa, uma das senhoras disse que não deveria se lembrar de nada, pois seria muito doloroso para ela fazê-lo. Sua vida diária perderia toda a importância e ela não seria capaz de continuar em sua vida atual se o fizesse. Suas palavras eram urgentes, poderosas, com profunda convicção. A outra senhora disse que achou que tinha tirado uma boa soneca. E Larry ficou com raiva de novo.

Esperei até mais tarde para contar a Larry o que me lembrava do incidente.

De fato, havíamos visitado os lemurianos. E, sim, a vida na nossa parte do mundo perdeu muita cor, sabor e significado quando deixei as memórias ressurgirem. Nao foi fácil.

Isto é o que eu vi: quando fomos recebidos no portal, os lemurianos nos levaram individualmente para o seu espaço. Isso porque, em sua experiência, quando um grupo entra em sua realidade, cada pessoa pode se comportar de maneira muito, muito diferente e eles gostam de poder acordá-los gentilmente (se a pessoa quiser) e lidar com o que acontece em uma maneira gentil. Depois que a pessoa se posiciona e lida com a experiência, ela é apresentada à festa de boas-vindas. Também tem comida, e se quiser a pessoa pode fazer um tour de tecnologias ou outras coisas.

Os hematomas nos braços e nas pernas de Larry aconteceram porque eles tiveram que segurá-lo porque ele ficou muito violento quando acordou lá e eu não estava por perto. Ficou muito fora de controle.

Uma das senhoras realmente ficou no quarto acolhedor e simplesmente dormiu durante toda a experiência. A outra senhora, aquela que disse não querer se lembrar, passou o tempo explorando, conversando e comendo a deliciosa e colorida comida cheia de vida que eles prepararam para nós.

aQuando relatei nossa visita a nível público na época, muitas pessoas me perguntaram sobre a tecnologia deles, eles tinham energia gratuita? Coisas assim. Mas esse tipo de coisa não estava em minha mente perguntar na época. Eu estava mais interessada em sua comida, no tecido de suas roupas e também em sua maquiagem. Eu estava interessada em seu discurso social, como eles se comunicavam, por que se separaram de nós e como administravam a sociedade. Suas expectativas de vida, saúde, estruturas familiares, cidades e tal.

Os Lemurianos estão de volta à minha consciência agora, e Larry e eu estamos dando uma aula sobre eles que incluirá um exercício para restabelecermos nossos links de alta frequência com eles.

Inélia

Podcast: Memórias Lemurianas

Clique na imagem ao lado para saber mais sobre a aula que a Inelia estará ministrando este mês sobre Lemuria.

Fizemos o nosso trabalho, agora faça o seu e compartilhe :) Telegram da Inelia em Português: https://t.me/ineliapt



Tradução: Scheila Adriane


122 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

留言


  • Facebook
  • YouTube
  • Instagram
bottom of page