© 2016 by Despertando Deuses. 

Buscar
  • Charumati Prem

Liberando seus apegos



Você é muito ligado a resultados?

Acredito que a maioria, se não todos os nossos problemas na vida vêm de sermos demasiado apegados - muito necessitados de um resultado desejado. Quer reconheçamos ou não, tendemos a ser apegados a pessoas, lugares, bens materiais, carreiras ou a necessidade de ser alguma coisa. Por que é um problema ser apegado a estas coisas?

O verdadeiro Eu é pura presença fluindo através de cada um de nós pela alma. Ela não tem identidade (embora você pode se identificar com ela). Ela não precisa de nada, porque é inteira e completa, nada lhe falta. Ela está fluindo através da vida como almas colhendo experiências cada vez mais variadas de sua completude. Ela faz isso, expressando-se através de personalidades - por meio de Raios Harmônicos da Alma. Em última análise, a personalidade se torna uma ferramenta iluminada do verdadeiro eu trabalhando com ele como uma onda no oceano.

No entanto, para chegar a este ponto, devemos expor e liberar aqueles lugares onde a alma se perde em eventos e circunstâncias, os lugares onde nos esquecemos que nós realmente não precisamos de nada, porque já temos tudo. Assim, o potencial infinito da própria verdade cria todo o tipo de experiências através da alma, relacionamentos, carreiras, desejos, etc, que pela Lei da Atração atrai circunstâncias para nós para expor estes apegos. Uma vez que identificamos este como o caminho verdadeiro na vida, então começamos a perceber nossos apegos e uma vez que os vimos, temos uma escolha: ou continuamos a viver esse padrão ou liberamos o apego e descobrimos uma faceta mais expandida da verdadeira beleza que flui através de nós.

Como sabemos se estamos apegados?

A resposta é muito simples - quando perdemos a paz interior.

Então, como vamos liberar esses apegos?

Supondo que queremos nos libertar desses lugares onde nos tornamos presos, então a chave para liberar um apego é trazê-lo para a luz - reconhecê-lo pelo que ele é, sem negação. É sentir plenamente a contração causada pelo apego que nós sentimos por dentro.

Então, consciente do apego, em outras palavras, conforme estamos no lugar onde perdemos a paz interior, é deixar cair o apego como se estivessemos "soltando brasas". Fundamentalmente, porém, é de vital importância sentir o calor antes de o fazer. Dessa forma, você "queima" através da contração e do apego correspondente. Ele não vai te segurar mais.

Conforme o "carvão vai ficando quente", você pode utilizar essas perguntas para ajudar:

1. Quem sou eu? Resposta: "Eu sou o absoluto". Somos eternos, não podemos morrer e nós não podemos ir a qualquer lugar, porque existimos em toda parte. Criamos tudo o que estamos experimentando agora e não há nada que não possamos lidar.

2. Que horas são? Resposta: "A hora é agora" Nada antes deste momento importa porque não podemos fazer nada para mudar isso. O futuro se desenvolve a partir do presente, de modo que não precisamos pensar nisso. Portanto, a única coisa a fazer é estar totalmente presente no momento do agora.

3. O que eu preciso? Resposta: "Nada que eu já não tenha". Nós não precisamos de qualquer coisa que já não temos porque se o fizéssemos, não estaríamos aqui! Nós sempre temos exatamente o que precisamos para sermos nosso verdadeiro Eu. É somente quando estamos sendo o falso Eu que experimentamos falta ou perda.

4. Por que estou aqui? Resposta: "Para se lembrar de quem eu sou" Há apenas um verdadeiro propósito do universo e que é a experiência de quem nós somos - o absoluto. Cada momento revela isso para nós e não há absolutamente nada para fazer além disso.

Distorcidos padrões de comportamento

É altamente provável que cada apego terá incorporado vários padrões de comportamento condicionado em nossa psique. Assim, com o apego liberado, nós ainda vamos ter que trabalhar para desfazer esses nós internos de comportamento repetitivo. E nós podemos fazer isso segurando um espaço aberto para a nossa verdade superior surgir no momento.

Tradução: Charumati Prem | Fonte: wakingtimes.com


Chris Bourne, fundador da Openhand, atua como um catalisador de mudanças auxiliando pessoas em sua jornada de evolução. Depois de um trágico acidente onde ficou entre a vida e a morte, vivenciou uma rendição interior total, uma rápida expansão da consciência e reconexão com o absoluto - o Deus dentro de nós.

#Emoções #Práticas #Consciência #exercício #autoajuda #Autoconhecimento #DicasePráticas #Crenças #Espiritualidade #ChrisBourne #reflexão

40 visualizações
  • Facebook
  • YouTube
  • Instagram